Economista, Terapeuta Comportamental, Instrutor MASTER MIND, especialista em Marketing, Escritor e Conferencista

Perdas e ganhos

Existem perdas necessárias . Perde se a minhoca para ganhar se o peixe, o pintinho perde a segurança da casca do ovo para ganhara vida. Dizem que a vida é um inventário de perdas . Perdem se amigos, a juventude, a saúde , a vida.Ganha se a experiência a serenidade, a vida eterna.
O binômio risco e oportunidade que a crise forma no ideograma japonês é um ótimo exemplo disso. A crise traz dificuldades que podem ser tratados como desafios e que nos levam a outros patamares. Afinal se não existisse o atrito não existiria a roda. Na crise ganha se . Precisa ter olhos para ver.
Travessia
A grande travessia que a economia brasileira precisa fazer e; na verdade está fazendo gradativamente; é de passar de uma economia baseada na extração de recursos naturais para uma economia sustentada pela inovação.
A mãe
De todas as inovações é a necessidade. Dela emanam as invenções. A era do petróleo vai acabar não porque o petróleo vai acabar, da mesma maneira que a idade da pedra acabou não porque acabou a pedra, mas porque surgiu outra tecnologia. “Nós criamos as tecnologias e as tecnologias nos recriam”, dizia Marshall Mc Luhan. Nós mudamos em conseqüência das tecnologias que nós mesmos criamos . O combustível fóssil esta aquecendo o planeta de forma inexorável. Logo iremos para outra fonte de energia e isso impactará toda a nossa forma de administração e de vida . Isso formará um novo ser humano ?
Sociedade tecno científica
Será que o homem de hoje é, digamos assim, diferente de 200 ou 500 anos atrás ? Diz se que uma nova condição humana fatalmente surgirá da civilização tecno científica . E como será ela ? Melhor ou pior ?
Mudanças
Haverá mudanças no ser humano, nem sempre para melhor. Por outro lado, como diz o jargão popular, o ser humano muda muito pouco. A competição teria muito a ver com isso . Ela desperta o que há de menos decente em todos – ou quase todos – que lutam pela vida , ainda que materialmente , melhore para todos.

Avanço da ciência

O Brasil, como economia formatada no binômio tecnologia , mais uso de recursos naturais , tem alguma semelhança com os EUA. Mas pode superá- los caso a mão de obra se capacite e adquira novos conhecimentos , acelerando a transformação de uma economia baseada na extração e sustentada na inovação .
O Brasil será a maior potência do século 21 , segundo relatório da C.I.A. porque temos água, sol e terra para a agricultura. Temos a Democracia consolidada, uma planta industrial moderna e o comércio estabelecido .
Pontos fracos : Faltam Estadistas – ser político no Brasil é demérito – falta estratégia – o que queremos ser ? – e nosso capital intelectual precisa ser elevado. Precisamos rever nossos valores. Como dizia Machado de Assis : Mudei eu ou mudou o natal ?

E você
O que você está fazendo por você para adaptar se a esse novo tempo . Lembre a sobrevivência não é o dos mais fortes, se fosse assim os dinossauros ainda estariam dominando a terra, mas sim o dos mais adaptáveis.
Que venha a nós o novo tempo e seja uma festa a sua chegada.

Parteiro ou coveiro ?

Dizem que a primeira qualidade de um bom administrador – seja do setor privado , seja do setor estatal – é saber escolher a equipe . Depois, saber delegar e cobrar metas traçadas pelas pessoas escolhidas . Os recursos financeiros e físicos são mais fáceis de aparecer se houver bons recursos humanos. Não por acaso recrutador de talentos é chamado no mercado de caçador de cabeças .
Recrutador
O Mário Morrelli foi um construtor “Dazantiga” em Balneário Camboriú, como dizia o Kinho do Henrique . Foi um empresário que marcou época . Além de empreendedor, gerador de emprego, pagador de impostos, era de um humor fenomenal . Eu particularmente sou fã do bom humor, pois penso que é um indicador de saúde mental ser bem humorado . Ele tinha em seu cartão de visita algo que me chamava atenção :
Mário Morrelli
Não sabe tudo mas conhece quem sabe .

Fala sério, que criatividade ! Eu várias vezes tive vontade de imita – lo. Só não fiz por falta de autoconfiança ! Era a versão moderna da instrução de Henry Ford que dizia que “ele só era bom porque soube cercar se de pessoas muito mais inteligentes que ele”. Grande Mário Morelli, deixou bons amigos na praia, como nós os “dazantiga”, chamamos Balneário Camboriú . Mário já foi para o Oriente Eterno fazer amigos em outras paragens no seio de Abraão . Deixou saudades.
Cidade de personagens
Essa nossa cidade é uma cidade peculiar em termos de personagens pitorescos . Morelli era um poeta . Que é diferente de escrever poesia. A poesia começa onde termina a filosofia, porque quando o filósofo termina a resposta ninguém mais sabe qual era a pergunta . Vira poesia, que não precisa explicação.
O outro Mário
Mário Quintana dizia : “Nós vivemos a temer o futuro, mas é o passado que nos atropela e mata”. Confirmando se a previsão segundo a qual a lembrança da felicidade torna triste o presente. É o tal do : “Eu era feliz e não sabia” da música de Ataulfo Alves.
Jânio Quadros
Dois anos antes de morrer Jânio disse que a saudade era tanta que até os adversários, inimigos até, lhe faziam falta. Que falta me faz o Adhemar de Barros, dizia ele !
Sentimos saudades até da adversidade. Como dizem os mineiros : Eiiiitaaaa vida véia sem porteira !
Experiência
Os anos nos ensinam coisas que os dias desconhecem , fornecendo-nos experiência, capital que às vezes parece que não vale nada. Talvez porque quando temos em boa quantidade, já não temos muito o que fazer com ele.

O filho
Dia desses ao ler o jornal página três encontrei um artigo do filho do Mário Morelli, o
Antoani Morelli , dissertando sobre um tema bastante interessante sobre o perfil de pessoas e as classificou de duas formas : Parteiro e coveiro .
Parteiro é aquela pessoa que faz as pessoas nascerem todos os dias e o coveiro é aquele que enterra os outros todos os dias .
O Mário era parteiro e pelo jeito o filho continua a tradição de geração em geração .
E você ?

Qual o teu legado ? Você é parteiro ou coveiro ?

O entusiasmo não conhece derrota

A falta de entusiasmo gera preguiça e a preguiça anda tão devagar que a pobreza logo a alcança. O entusiasmo é o segredo pouco reconhecido do sucesso. Nada, absolutamente nada de grandioso na vida, foi desenvolvido, criado, inventado sem uma dose extra de entusiasmo! É fácil ser pessimista e desmotivado, mas dá muito trabalho ser otimista e motivado.
EU SOU

A etimologia da palavra vem do grego: ENTHEOS, que quer dizer DEUS dentro de si. Ou seja, todo o seu vazio interior é do tamanho de DEUS !
O nome por meio do qual, DEUS se deu a conhecer a Moisés na Bíblia Sagrada, está no livro do Êxodo, capítulo 3 e verso 14 é: EU SOU.
Motivação

Existem dois tipos de entusiasmo: O endógeno e o exógeno.
Endo = dentro. Geno = gerir. Entusiasmo gerado dentro.
Exógeno = ambiente. Depende de um motivo do ambiente para entusiasmar-se. Comumente chamado de motivação.

Quanto maior a capacidade de gerar entusiasmo dentro de si, maior será a autonomia de vôo do ser humano, pois o seu combustível interno consegue mantê-lo mais tempo no “ar”. O sucesso do entusiasmo não vem prontinho do céu; há um dever de casa para ser feito todo dia: Tem que decidir ser entusiasmado. E é importante repetir que a vitamina do triunfo é o entusiasmo verdadeiro, não a euforia frívola. A maior falência que o ser humano pode ter é a perda do entusiasmo.

Acima da mediocridade

Enthousiasmós é uma palavra de origem culta, ela foi tirada dos antigos textos dos filósofos gregos, por escritores franceses no século XVI, na época do Renascimento na Europa. Na Idade Média, a humanidade estava vivendo um período medíocre, uma verdadeira idade das trevas. Os homens mais sábios da época espelharam-se na cultura da Grécia antiga para melhorar o nível da civilização e, nessa busca, vem o entusiasmo para ajudar a elevar o nível do ser humano e tira-lo da mediocridade.

7 dicas para se manter motivado
1) Aquecimento físico – Mexa se, o exercício físico produz endorfina. 2) Aquecimento físico – palavras de auto direção. 3) Aja com entusiasmo – Aja como se estivesse motivado, a ação precede o sentimento 4) Ação – coloque pernas nas palavras, o universo recompensa a ação. 5 ) Tenha metas – Quem tem metas se re energiza. 6) Desafie se, o desafio aciona o botão interno de todos nós. 7) Tenha atitude vencedora.

E Você?
Profissionais Motivados são mais produtivos, mais felizes. Mantenha isso em mente e veja sua eficácia decolar.

Mudando atitudes

Quando começamos nossos relacionamentos, temos um universo de informações sendo percebidas pelos nossos sentidos. Algumas, eventualmente, nos desagradam, mas como estão misturadas com tantas novas sensações, tendem a ser relevadas, as vezes, mal percebidas.
Quando avançamos para o campo da intimidade, alguns comportamentos começam a criar o status de irritantes. É como um pingo d’água usado para torturar: No início, não incomoda muito, mas com o tempo, passamos a pressentir a chegada do próximo. E quando o comportamento acontece de novo, tendemos a ser duros no comentário ou reação.
Podemos comparar esta nossa reação a esses comportamentos como aquele som que não nos deixa dormir: Têm vários sons vindo de aparelhos, do vento, cachorros latindo, mas um som em especial tem seu impacto aumentado por nosso cérebro. Ou re-significamos seu efeito, ou colocamos um tapa-ouvido.
Os comportamentos podem ser os mais diversos:
Toalha molhada na cama
Sons desagradáveis ao dormir, alimentar-se
Palavras desagradáveis, tom e intensidade de voz
Vulgaridade
Brincadeiras
Quando Líderes com Mente de Mestre estão em contato, estes comportamentos podem ser plataforma para evolução.
O responsável pelo comportamento negativo, assume compromisso entusiasta de mudança. Policia-se, anota avanços por tempos definidos (exemplo: 21 dias), começa do zero quando se descuida, etc.
A outra parte, toma o cuidado de não ser isento nem agressivo. Calar-se e ficar guardando desconforto só fará mal para a relação. É preciso abordar o assunto com atitude de Mente de Mestre (tendo o cuidado de não magoar a outra pessoa), mas é preciso também ter paciência, dar tempo para a mudança, respeitar quando houver deslizes e estimular recomeços.
Cada comportamento superado passa a fazer parte da contabilidade como mais um crédito conquistado no relacionamento. Este ativo será sempre fortalecedor na hora de recomeçar novos compromissos de mudanças, para ambas as partes.
Líderes com Mente de Mestre sabem que os relacionamentos só são de fato duradouros após vencerem as provas do caminho.
Cuide bem das pessoas que chegam na sua história.

MARACATU ATÔMICO

Certa vez conversando com Claudio Horbe, arquiteto que foi secretário de planejamento do governo Haroldo Schultz e desenhou aquele parabólico hiperbólico – Elemento arquitetônico – que ficou mais conhecido como a cobertura da Praça Almirante Tamandaré na av. atlântica, falávamos sobre as profissões e as liberdades e possibilidades que elas proporcionam ao ser humano. Naquela época, há 25 anos atrás , chamávamos isso de “papos cabeças”, que era uma maneira de filosofar em português. Ele conseguia levar um estilo alternativo e ainda construir uma imagem profissional .
Porque estou dizendo isso ?
Porque quis o destino tortuoso dos ciganos e as aventuras dos pneus dos caminhões , que atravessando os riachos de salobros e uma vida de assombros, me tornei alguém que trabalha e viaja ao mesmo tempo . Fui a Recife – PE e aproveitei para passar três dias na ilha de Fernando de Noronha . Vim eu e minha esposa e um casal de amigos, Enoir e Stela . Viagens entre amigos tornam se mais ricas em histórias no futuro .

Vote Noronha

A ilha é um paraíso na verdadeira acepção da palavra – pelo menos o que nós imaginamos como paraíso – com um número limitado de pessoas para entrar por vez. Além dos valores das pousadas serem altos – para padrões mundiais – paga se também um valor ao governo do Estado de R$ 39.00 por dia. É para proteger e reinvestir na ilha. Tomei água de coco na caminhada. Perguntei ao guia onde colocava o lixo e ele me respondeu : “O canudinho favor colocar nesta sacola biodegradável. O coco pode jogar em qualquer lugar que a natureza reaproveita”. Consciência ecológica cada vez mais presente no turismo.
Existe um movimento para eleger a ilha uma das sete maravilhas naturais do mundo. WWW.votenoronha.com.br . Eu já votei .

A ilha
Tem 3.500 habitantes fixos e pode receber até 1.500 habitantes de turismo. Tem poucas coisas para se fazer na vida noturna . Palestras todas as noites sobre o Projeto TAMAR e depois forró . Nas segundas feiras, no bar do cachorro, tem uma apresentação de Maracatu , ritmo pernambucano muito divulgado por Alceu Valença e a cultura local do Pernambuco . Cultura é a mistura do que era sagrado – culto – e do que era profano. Uma permissão que a igreja do passado dava ao povo para eles fazerem ao ar livre para passarem o tempo e divertirem – se . É a voz do povo continuando a história rumo ao futuro .
As águas
Esse é um capítulo a parte na ilha. As águas chegam a ter 50 metros de profundidade de visibilidade . É isso mesmo , do barco você enxerga a 50 metros de profundidade e vê o fundo do mar. É um azul turquesa apaixonante. Tem se a impressão de um aquário gigante. Quando se vê , é impossível não emocionar – se !
Os golfinhos fazendo balé ao lado do barco, é um espetáculo de rara beleza . Pelo menos uns 20 acompanharam nossa embarcação durante um tempo. No dia de nosso passeio tinha entrado uma população de 230 golfinhos na baia dos golfinhos – que é proibido entrar – e é monitorado pelo projeto TAMAR .
Os tubarões, que vem na praia do porto no fim da tarde comer o que os pescadores dão a eles é outro espetáculo. Segundo eles os tubarões são inofensivos , quase vegetarianos…….gostam só de batata …. da perna , de flora…..intestinal, de maça…do rosto…….risos…..
Praia do Sancho
Que foi eleita uma das 10 praias mais bonitas do mundo, por uma revista especializada , realmente vale o título. É um espetáculo o morro dos dois zirimão .
Serpentes no paraíso
A ilha é cheia de curiosidades , entre elas a caverna do leão que é um urro que a montanha dá devido a um refluxo d água do mar que é de assustar até o mais valente dos marinheiros e se ouve todos os dias. Ter a menor BR do país,a BR 363 com apenas 7 km que corta a ilha de ponta a ponta. Alem dessas e outras a ilha não tem cobras, não se cria cobras lá , um fenômeno da natureza . Ou será que cobra não se cria no paraíso ?

Idiotas que dão certo

Dia desses estava almoçando com meu filho Jason de 21 anos e conversando sobre um amigo dele que tem o apelido de Cachaça. Homem quase cinqüentão, estilo sobrevivente dos anos 70. Pessoa influente no meio cultural de Ribeirão Preto, amigo do Dr. Sócrates, lendário jogador do Corínthias e patrocinador de uma grande maioria dos projetos culturais capitaneado por Cachaça. Segundo o Jason, um figuraça! Comentei que, com um apelido desses, provavelmente deve ser uma daqueles casos de: “Teu passado te condena”! Rimos e começamos a conversar sobre esse tema dos “loucos” que deram certo.
Gênios
Todo o gênio é um idiota que deu certo. Quase um erro de programação. Em grego, a genialidade, a loucura e a coragem eram irmãs. Da mesma maneira que a saúde era irmã da alegria. Costuma se dizer que uma pessoa muito inteligente ou fica com cara de bobo ou com jeito de autista. Sem demérito para o autismo, por favor, compreendam.
Nóia quer dizer a alteração da consciência. Paranóia é a doença da alma rodando dentro da consciência. Metanóia é a consciência alterada para fora – Meta quer dizer além de. Quando se pensa muito em algo, idéia fixa, “está na nóia”, como se diz na gíria dos adictos. Quando a mente enxerga o futuro faz se a Meta nóia! Enxerga se além do que se está vendo. É uma ferramenta usada na construção de cenários futuros. Os americanos costumam dizer: É claro que nós sabemos como será o futuro, nós o moldaremos! Isso é metanóia. Projetar a mente para o além.
Competição
Vivemos tempos de excessiva competição entre os agentes econômicos, o que transforma o mercado em um campo de batalha quase uma fábrica de paranóicos. Pois o ambiente se torna propício ao surgimento de desequilíbrios emocionais. Que são doenças da alma. Pessoas consideradas de inteligência comum, num determinado momento da existência, pressionada pela competição, podem desenvolver moléstias psíquicas até então enrustidas. E passarem a ter comportamento esquisito. Outros, sobre pressão, a inteligência se agudiza, ou seja, melhora , afina o instrumento. Fica meio louco, mas bom para perceber as coisas mais aguçadas.

Loucos

Um dia estava vendo TV e um jornalista perguntou ao entrevistado em que momento da história ele gostaria de ter vivido? Ele respondeu: O momento em que Joe Cocker, naquela manhã de agosto de 1969, cantou A Litlle help from The my friends, do Beatles em Woodstock. Parecia um idiota cantando, com trejeitos de débil mental! Pensando bem o talento é meio esquisito mesmo. Nesse mês faz 40 anos de Woodstock, o festival de música que em três dias abalou o mundo. Daquela geração, muitos se perderam no caminho, outros conheceram a lição. Outros, os mais pragmáticos, colocaram a lição em prática e obtiveram resultados muito interessantes na vida. Tanto na área profissional como na área pessoal, pois começaram a olhar a vida de uma forma mais expandida, mais global, ou “holística”, como gostam de falar os que ficaram com resquícios de 69.
Falei rindo: Balneário Camboriú tem um monte deles disse eu ao meu filho, para fechar a conversa. Os que não ficaram loucos ficaram bons.

E você?

De médico e de louco todo mundo tem um pouco. Como vens aproveitando as suas loucuras para transformar em resultados?

Ideologia ! Eu quero uma pra viver .

Ideologia é um conjunto de regras que dá sentido a vida e explica o mundo . Alguns pensadores dizem que é uma idéia falsa, um sonho inatingível, com falta de pragmatismo, pois não conseguem traduzir as suas idéias em práticas políticas exeqüíveis. Como se diz em Manaus : “Isca tem que ser bom pro peixe não pro pescador”. Os idealistas por sua vez dizem que nem um sistema político é uma obra pronta, tudo está em evolução. As reformas sempre acontecem com pequenos passos.
Meu amigo Samuel Quijano, arquiteto de Balneário Camboriú costuma dizer que um projeto só termina quando a obra termina. O projeto também é uma obra aberta.
É a dialética, o movimento vivo das coisas.

Sem idéia não se constrói nada

Passamos então a termos um paradoxo ! Se sem idéias não se constrói nada, precisamos então dos dois, dos idealistas e dos práticos . O idealista que enxergue o futuro e esse futuro seja uma vida melhor pra se viver e o prático que veja o mundo ao seu redor e de um beijo de realidade nas coisas.
Sonhos testados
Vez por outra precisa se testar os sonhos na vida prática pra ver se ele se adapta. No século 20 se testou 3 modelos de governos , o capitalismo, o comunismo e o nazismo. Só sobreviveu o capitalismo porque conseguiu traduzir como se enxerga a vida e como se relacionar com o mundo e com os amigos através de resultados. Por ser útil.
Freio de arrumação
Mas não significa que atingiu a maturidade. Estamos vivendo um grande questionamento sobre a sua eficácia nestes tempos atuais. A crise funciona como freio de arrumação para o mercado. Os liberais dizem que é preciso liberdade, mas a liberdade tem riscos. Os socialistas dizem que o liberalismo é colocar a raposa cuidando do galinheiro. A sociologia liberal parece estar tomando corpo por se perceber que o mercado precisa de gerenciamento também. A crise mostra isso .
Crise
Ô palavra chata essa !!! Mas existe ! E tem conseqüências em nossa vida prática.
A crise não chegou no Brasil . E talvez não chegue. As demissões que estão existindo são um rearranjo da Economia.

Nós temos um compromisso com o País e com a nossa vida. Precisamos enfrentar a crise.

O que a imprensa mundial tem feito é se prestado, muitas vezes a serviço de grupos de interesse . Como ensina os protocolos de mercado :”Em épocas de crise é um bom momento para se comprar uma grossa fatia de um país a preço de Liquidação”…..
A crise que se fala é de confiança no futuro. O País vai crescer 3 % . Segundo o nosso Presidente, pode chegar a 4 %. Isso é um crescimento extraordinário. Quem lembra dos anos que crescíamos 1,5 % ? E vencemos aqueles anos com galhardia.
E a crise de 94 a 96 ? Foi terrível, quebrou México, Filipinas, Argentina moratória.Nós ficamos sem crédito internacional e foi terrível….
Tequila

Chamávamos de efeito tequila aquele vendaval econômico e demos um banho de competência !!!!! Agora nós temos crédito interno e externo, e, todos os países estão de olho em nós porque somos a pérola do século. Nós somos brasileiros e não desistimos nunca !
É preciso que a crise saiba que ao nos encontrar, encontrará resistência.

E você ?

Recomendo a leitura do terceiro pergaminho do livro O maior vendedor do mundo de Og Mandino , todos os dias, durante 3 meses.

Sucesso sempre

Filhos do Sol e Sul Fluído

Em 1984 teve um festival da canção em Balneário Camboriú. Foi no final da praia.
Final da praia era como chamávamos a barra sul, numa época em que o inverno em Camboriú começava em março e só terminava em novembro, quando começava a outra temporada que eram só de três meses. Quando não menos. Os festivais eram uma maneira incipiente de atrair pessoas no inverno para a cidade, porque o verão se promove por si só. O Jonas Ramos, o Joninha do Schultz como era conhecido, era o secretário de turismo da cidade. Era uma maneira simpática de se referir ao nosso J. Junior.
Festivais
Inspirado nos grandes festivais da canção nos inscrevemos com uma música. Eu e o Jairo, meu irmão, tínhamos uma dupla chamada os filhos do sol. Eu com uma tatuagem no braço – que trago até hoje – de uma clave de sol e ele com uma tatuagem com a nota de Dó dentro de um sol desenhado no outro braço. Quem fez a tatuagem foi o Ico do Busato, que fazia o primeiro ano de medicina e havia aprendido a fazer tatuagem com três agulhas e nanquim. Hoje ele é Neurocirurgião. Era uma dupla do absurdo, inspirado nos teatros experimentais da década de 80. Inscrevemos o Rock das pipocas . Um absurdo! O Escova, apelido do Maurício do Meio Ambiente, violeiro da praia, tinha uma banda chamada Sul fluído, inscreveu se com uma música chamada Laranjeiras e ganhou o Festival. O Escova foi candidato a Vereador e fazia seus discursos com uma viola e uma gaita de boca. Era o nosso Neil Young. Essa nossa cidade realmente tem personagens extraordinários.
Mike e o Japão
Penso que já escrevi sobre o Mike, irmão do Paulo Bossa, dono do Status. O Paulo ficou famoso por brigar e sempre apanhar, mas não perdia a bossa. Bossa é uma gíria tão antiga quanto andar pra frente, “pra fazer tipo”. Mas o Paulo se deu bem no seu ramo. Como diz o Varinho, apelido do Engenheiro Álvaro Zain: “Todo o louco quando se dá bem é respeitado”. Quando você se dá bem todos te respeitam. O Paulo Bossa, dizia o Jairo, de tanto apanhar aprendeu a brigar. Seu irmão Mike foi morar no Japão, casou com uma Japonesa. Encontrei ele muito tempo depois e perguntei como foi sua adaptação no Japão? Me respondeu : “Jamil, quem se dá bem em Balneário Camboriú, se dá bem em qualquer lugar do mundo” ! Como quem diz, essa escola da praia é inigualável ! Eu também acredito nisso .
Por quê?
Porque a cidade permite que o jovem trabalhe sua inteligência emocional. Tem horizontes, têm festivais, tem arte, tem cultura, tem espaço para o desenvolvimento.
A beira do mar, junto com um conjunto de oportunidades permite que a pessoa explore suas emoções. E a inteligência emocional faz toda a diferença na carreira de um profissional. Todas as pessoas citadas acima eram jovens sonhadores, com seus apelidos simpáticos construíram uma história bem sucedida e conquistaram um espaço na cidade e na região.
Vaga lumes

Pessoas trabalhadas emocionalmente são pessoas que reagem melhor as adversidades da vida, constroem relacionamentos duradouros e tem objetivos de vida bem definido. Pessoas não trabalhadas são como vaga lumes brilham, mas não iluminam. Pessoas que só tem luz na cabeça, iluminam o caminho mas fazem sombra para seus pés. Pessoas que tem luz no coração iluminam o caminho e iluminam seus pés, como dizia o poeta Rabindranath Tagore.

E Você
Como vem aproveitando as experiências da vida para transforma- las em ferramentas competitivas a seu favor?

Médico de homens e de almas

O título acima é o designado ao Evangelista Lucas, médico que escreveu o Evangelho de São Lucas da Bíblia Sagrada, que era médico. De homens…… e com o tempo e a crença,……. de almas!
Eu tenho muitos amigos médicos. Já treinei turmas inteiras na arte da liderança só com médicos. Um grande desafio é o doente e seus cuidadores. Os médicos são treinados para não se envolverem emocionalmente com seus pacientes sob pena de sentirem o que o paciente sente. O subsecretário de saúde da Bahia, ex prefeito de Juazeiro da Bahia, é meu amigo. Falamos muito sobre o caos da saúde pública e sobre médicos, essa profissão tão encantadora e controversa.
O mito
Quíron, meio cavalo, meio homem, mestre de Esculápio, deus da medicina. Quíron identificava – se com os homens, ensinava – lhes a arte da guerra e da caça, além de exercer a medicina. Foi atingido por uma flecha envenenada disparada por Hércules que provocou uma ferida que, embora não matasse, nunca curava e doía. Precisava proteger aquele lugar e percebeu que todos possuíam um lugar em seu ser, de extrema sensibilidade, presente no interior de cada um. Havia na verdade uma ferida na alma. Sentir em si a mesma dor, e o medo dela, o fazia mais humano.
O médico ferido é o que melhor cura, disse alguém que deve ter se beneficiado da dor sofrida pelo seu curador.
Alguns amigos médicos

O prefeito de Serrana interior de SP é médico e meu amigo. Disse- me certa vez, que sempre se lembrava de uma martelada no dedo quando ia atender um paciente, isso o faz sentir o que o paciente está sentindo e atende com mais generosidade, pois pode estar inflingindo- a ele o mesmo sentimento.

Um médico
Um dia saí de Ribeirão Preto e vim me consultar com o Dr. Sérgio Santos, Gastro que tem consultório na av. do Estado quem vai pra Itajaí. Médico tem dessas coisas, a gente – nós leigos – não conseguimos saber se ele é bom ou não, o critério é se a gente confia ou não confia. Dr. Sérgio – de minha maior confiança – detectou uma irritação no esôfago e me falou: Jamil é baixa imunidade, seja senhor de suas emoções, faça os exames e relaxe, nada de ficar pensando no pior. Se o pior vim, enfrentaremos. Se ele não vier, pelo menos não sofremos por antecedência. Fiquei valente com o conselho e me tranqüilizei. Era apenas uma tensão nervosa exagerada. Esses médicos sabem das coisas !

Outro médico
Meu irmão Jairo também teve alguns amigos médicos. Um em especial, foi amigo dele desde a adolescência. No final, como teve que se cuidar no atendimento público, um dia pediu para falar com o amigo, o pedido chegou até o amigo, mas o amigo, mesmo trabalhando no mesmo hospital, não foi visitá – lo e ele partiu sem a visita. Esses médicos sabem serem frios de vez em quando !

Vida transitória
A humildade não é apenas a certeza de nossa insignificância diante de Deus. É a consciência de que nada é definitivo. É isso que nos coloca no devido lugar. Caso contrário corremos o risco – como os anjos – do pecado da soberba. O Claudio, amigo de São José do Rio Preto, disse-me que certa vez ouviu um médico falar em uma reunião, que a diferença entre ele e DEUS, era que DEUS não operava. ….. a história registra um anjo que começou assim ……como dizia Al Pacino, na última cena do filme advogado do diabo, “A vaidade é o pecado que o diabo mais gosta”.
E você?
Como vem lidando com este desafio, a vaidade, em sua vida? Aceita feedbacks ou está pensando que é bom demais e a opinião alheia é muito pequena pra poder emitir uma opinião sobre sua competência? Pense nisso !

É difícil amar o próximo quando o próximo está próximo

Amar a humanidade é fácil, difícil é amar o próximo quando o próximo está próximo. O dia que ouvi o ex – ministro Rubens Ricúpero falando esta frase fiquei em um primeiro momento surpreso e até indignado. Como ele ousa dizer isso pensei? Que lástima! Afinal esse é um mandamento determinante para nossa fé. Quase troquei o canal da TV. Mas a curiosidade foi maior e deixei-o terminar o pensamento. Os argumentos foram densos. A proximidade leva ao atrito, dizia ele. Como ele foi Ministro da fazenda do FHC, pensei na economia como território consistente para a filosofia, mas perigosa para a religião. A economia é a área dos valores que tem preço, enquanto a religião é a área dos valores que não tem preço. Quando elas se cruzam, na melhor das hipóteses, perde – se em eficiência.
O que predomina no mundo
É o sentimento de indiferença, do desamor, anotado de maneira definitiva na parábola do bom samaritano. Tem uma propaganda na televisão sendo vinculada mostrando crianças de rua em que só a criança que está junto do pai ou da mãe que vê a outra criança. E pergunta para a mãe porque aquela criança está pegando comida no lixo? E a mãe responde: “única criança que tem aqui é você”. Nos acostumamos tanto com uma situação que ficamos cegos. Só vemos os nossos.
Contradição
O paradoxo disso é que ao mesmo tempo em que só vemos os nossos, é desafiante conviver com os nossos. É sempre muito difícil amar o vizinho, o parente próximo, a sogra, o colega de trabalho. Eles são os próximos. Jesus Cristo nos manda amar o próximo, e nos pediu algo difícil porque amor é renúncia.
Entre Estados
No Amazonas é um desafio ser Paraense, no Pernambuco é difícil ser Paraibano, ser gaúcho em Santa Catarina também não é a melhor coisa do mundo. Você já pensou como é difícil amar um argentino? ….. sem ironia por favor………e sem risos também…….Interesses econômicos criam atritos. Por exemplo, Belém perdeu a sede da copa para Manaus. Criou uma baita saia justa. Afinal Amazonas não tem tradição no futebol e no Pará os times do Remo e do Paissandu arrastam multidões.
Entre Países
Entre países também o atrito e os confrontos históricos são muito comuns. Os brasileiros do Acre detestam os bolivianos. Os do Mato Grosso não gostam dos paraguaios. A índia e o Paquistão, o Irã e o Iraque, China e Japão, entre as Coréias, Brasil e Argentina. Tem rixas históricas. Nosso desafio com a Argentina vem desde os tempos em que se tinha a impressão que quem dominasse o rio da prata dominaria todo o continente da América do Sul. O Brasil tentou até dominar o Uruguai, pois sua localização geográfica tornava-o peça fundamental para todos que possuíam interesses no comércio platino. Depois de anos sob domínio do Brasil, o Uruguai conquistou sua independência definitiva em 1828, com o apoio da Inglaterra, com o discurso de “preservar a liberdade de navegação na bacia do Prata”. Procurou não só a libertação frente ao domínio brasileiro, como preserva-lo face aos interesses argentinos. Desta forma o Uruguai passou a ser visto como um “Estado tampão”, separando Brasil e Argentina e garantindo a livre navegação.Apesar da independência, o território Uruguaio continuou a ser cobiçado pelas “potências sul americanas”: foi comum a invasão e ocupação de terras por pecuaristas gaúchos. Grande parte das atividades internas, rurais ou urbanas, desenvolveram-se a partir de empreendimentos do Barão de Mauá, se bem que, muito mais representando os interesses ingleses do que brasileiros.
Encontros e desencontros
Quando os desencontros se tornam acordos aumentam o poder , como é o caso de Austrália e da Nova Zelândia. É preciso maturidade para transformar desencontros em negócios. Cujo o denominador comum é o dinheiro. Como dizia Voltaire, “quando se trata de dinheiro, todos são rigorosamente da mesma religião”. O acordo substitui o choque e a consequência é a paz.
E você ?
O que vem fazendo para trasnformar teus concorrentes em aliados para aumentar o poder do conjunto ? Amar o concorrente é difícil , mas pode render dividendos .

Página 3 de 8«12345»...Última »

Desenvolvimento de sites | desenvolvimento de sites | www.signativa.com.br